Experimentar o autocaravanismo… a nossa visão – parte II

21/07/2017

 

O primeiro passo está dado: ter vontade de experimentar turismo itinerante, cheio de liberdade, com muito mais conforto do que com uma mochila às costas.

 

Mas como se experimenta o autocaravanismo?

 

Compra-se uma autocaravana? Nova? Usada? Em que condições? Com que idade?

Aluga-se? Uma autocaravana? Um furgão transformado/autovivenda?

Experimenta-se a dois? Com família? Com filhos? Com netos? Com amigos?

Pernoita-se num parque? Temos água que chegue? Energia? Temos calor? Ou frio? Como gerimos as refeições?

 

Há tantas perguntas…

Não há uma resposta certa…

 

Antes de responder a qualquer uma destas perguntas, é preciso tirar todas as dúvidas.

Como? Experimentando uma autocaravana!

Que pode ser emprestada ou alugada.

 

Aconselhamos que não faças menos de 3 noites. E deves pernoitar sempre em locais diferentes, e explorar a vida de autocaravanista.

 

Experimenta um parque de campismo. Uma área de serviço para autocaravanas. Em qualquer parque onde não sejam proibidas as autocaravanas.

Tenta fazer grande parte das refeições na autocaravana.

 

Experimenta diferentes tipos de percursos, trânsito urbano, estadas nacionais e auto-estrada.

Para a primeira vez, sugerimos um período fora da época alta. As praias estão mais livres, é mais fácil circular, estacionar, desfrutar.

 

E há muitas coisas a perceber. A própria condução do veiculo, que exige uma pequena adaptação, pelas dimensões, nos mais variados cenários.

 

Aprender a fechar, desligar, prender tudo na cozinha, armários, frigorífico, fogão, boiler, sanitas, água, janelas, persianas… enfim, uma eficaz gestão de arrumos e equipamentos.

Há muita coisa a ter em atenção, daí a importância de alugares. Os preços em época baixa são mais convidativos, há menos turistas pelas estradas, tudo para uma experiência relaxada e divertida.

 

 

Para o passo seguinte, a compra, existem várias opções, eis a mais comuns:

 

  • AUTOVIVENDAS/Furgões transformados - são interessantes para andar no meio das cidades, por serem pequenas e facilmente manobráveis. A capacidade de dormidas costuma ser 2 lugares, em alguns casos 3 ou 4. A gestão do espaço é mais rigorosa porque o espaço interior é reduzido, muitas vezes não têm WC/duche nem cozinha, ou têm kits básicos, como sanita portátil, duche exterior, mini-frigoríficos…. O isolamento térmico e acústico é menor neste tipo de veículos. Uma boa opção para casais que viajam muito, e a mais económica.

    • Carta de condução – cat. B

    • Consumos: 8-11 lts/100km

 

  • CAPUCCINE – são modelos com beliche e cama de casal por cima da cabine do condutor. São de utilização familiar ou grupos de amigos. Podem ter capacidade até 7-8 dormidas, mas a maioria acomoda 4-6 pessoas. Têm muita arrumação, espaços generosos, garagem, casa de banho com chuveiro, cozinha. A aerodinâmica (resistência do capuccine ao ar) provoca um consumo um pouco mais elevado.

    • Carta de condução – cat. B (na sua maioria)

    • Consumos: 10-12 lts/100km

 

  • PERFILADAS – mantém a frente original do furgão, mas não tem capuccine, sendo por isso ligeiramente mais baixas e mais aerodinâmicas, resultando em consumos um pouco mais baixos. Com camas que baixa no salão, oferecem no máximo até 5 dormidas. Mas o mais normal são 2-4 pessoas, o que é pouco sendo que facilmente atinge os 7 metros de comprimento, nunca menos de 6. Os espaços interiores e da garagem são generosos.

    • Carta de condução – cat. B

    • Consumos: 8-12 lts/100km

 

  • INTEGRAL – São as autocaravanas em que a cabine do condutor é integrada na célula da autocaravana, ou seja não tem cabine de furgão. Tem muito espaço interior, garagem, design integrado, casas de banho grandes, boa aerodinâmica. A maioria acomoda 2-4 pessoas, mas pode ir às 5. A dimensão para a baixa lotação é um dos pontos fracos, para além de serem as mais caras, quer na compra, quer na manutenção.

    • Carta de condução – cat. B / pesados

    • Consumos: 10-14 lts/100km

 

 

A compra exige alguma disponibilidade financeira. Para comprar e manter.

Claro que quanto mais baratas, mais antiguidade terão. O que levanta sempre algumas questões com a idade do equipamento e o seu funcionamento, a manutenção… Os problemas que advêm naturalmente de uma autocaravana com alguns anos são os mesmos que se esperam na compra de um automóvel ligeiro normal, a nível de mecânica. Depende da utilização que teve antes, das manutenções…

Acrescem potenciais problemas da utilização contínua dos equipamentos e sua manutenção, o fogão e o frigorífico, as baterias, a casa de banho, os comandos… São questões que não se colocam com a compra de uma autocaravana nova, por isso, no caso de uma usada, convém pedir ajuda a quem percebe!

 

Enquanto isso não acontece, as The Jolly Van estão à disposição para serem parceiras numas férias de sonho!!

 

 

Share on Facebook
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload